VERSOS POÉTICOS – Reflexos Casuais de Diferentes Matizes

  •  Se em algo lhe vejo mudar,
  • Nos intervalos em que lhe vejo,
  • De culpa lhe absolvo.
  • São reflexos casuais
  • – de diferentes matizes  –
  • Do que de mim recebe,
  • Do que a mim devolve.
  •  
  • Mas,
  • Se,
  • De fato,
  • Quer saber como lhe vejo agora,
  • Poderia responder:
  • .  Vejo em você o mistério
  •     – indispensável à mulher que mulher sabe ser  -;
  • .  Vejo em você a mística
  •          – que  atrai, os como eu  -;
  • .  Vejo em você o bem
  •              – escrito na testa,
  •       Que me faz bem,
  •       Que me faz muito bem  -.
  •  
  • E quando
  • Some da minha vida               
  • – quando é preciso sumir
  •   ou quando lhe dá vontade -,
  • Para me retornar, adiante
  • – quando é preciso voltar
  •    ou quando lhe dá vontade  -,
  • Sabe,
  • – como ninguém mais que conheço  –
  • Retomar da conversa o fio,
  • Fazer renascer o assunto insepulto.
  • Latente no tempo.
  •  
  • Do meu querer bem, por você,
  • A chama
  • – curta em tamanho, talvez pense,
  •    mas,
  •    infindável em vocação pra longevidade,
  •    tenha certo  –
  • Faz com que tudo seja como hoje,
  • Como ontem, ou na semana passada,
  • Ou há dois anos,
  • Ou há duas vidas,
  • Como sempre foi,
  • Como sempre é,
  • Como sempre será.
  •  
  •  
  • Pra resumir,
  • Perto de você, não me canso de ouvir, gosto de ficar,
  • Apraz-me até esperar que venha.
  • Imagine só!
  • E mesmo quando se vai, entendo,
  • Não blasfemo,
  • Chegou a hora, digo pra mim mesmo,
  • Agüento calado, porque sei que quando me volta,
  • Um ano vira um dia, ou uma noite talvez,
  • Volta tudo a ser como antes,
  • Como agora, como amanhã:
  • .  Vou sempre gostar, outra vez, de lhe ver por perto;
  • .  Vou sempre gostar, outra vez, de gostar de você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *